Eles encontram o fóssil mais antigo do gênero Homo

Eles encontram o fóssil mais antigo do gênero Homo



We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Uma equipe internacional de pesquisadores anunciou a descoberta de um fóssil que pertenceu a um hominídeo. É uma mandíbula que não tem menos de 2,8 milhões de anos, que Torna-se assim o mais antigo encontrado até agora do gênero Homo, ao qual pertence ao homem moderno., que revela que a evidência da linhagem da raça humana remonta 500.000 anos antes do que havia sido concluído no início.

Essa mandíbula foi encontrada em 2013 no site da Ledi-Geraru, no estado de Afar, e a análise foi publicada em dois estudos na prestigiosa revista Science. Os pesquisadores observam que o fóssil, conhecido como LD 350-1, combina todas as características primitivas do Australopithecus, com muitas das características mais modernas do Homo, colocando este gênero mais cedo no tempo.

Os pesquisadores ressaltam que ainda é cedo e afirmam que são necessários muitos mais estudos para poder determinar que espécie pertence. Até agora, os fósseis mais antigos encontrados dentro do gênero Homo datam de aproximadamente 2,3 ou 2,5.

Brian Villmoare, da Universidade de Nevada, um dos principais investigadores, ficou muito satisfeito com esta descoberta e declarou que: “Mesmo que tenhamos passado muito tempo procurando, fósseis da linhagem Homo com mais de 2 milhões de anos são extremamente raros de encontrar.”.

Tanto Cillmoare quanto sua equipe estudaram exaustivamente a mandíbula encontrada, que se destaca por ter cinco dentes intactos, e adiantaram que, apesar da idade e da localização do fóssil, o colocam muito próximo ao Australopithecus afarensis. Também coincide com a primeira espécie de Homo devido à sua forma fina e simétrica característica..

Eles explicaram que o período que cobre entre 2 e 3 milhões de anos é um dos menos conhecidos sobre o assunto, portanto, esta descoberta é uma boa notícia para a comunidade internacional da antropologia, pois um grande volume pode ser extraído. de informação.

Não há dúvida de que esses tipos de achados são algo fantástico e que sempre que alguma notícia desse tipo vem à tona, ela se torna um acontecimento, porque o sonho de todo antropólogo é poder completar as diferentes partes da história do humanidade.

Depois de estudar História na Universidade e depois de muitos testes anteriores, nasceu Red Historia, um projeto que surgiu como meio de divulgação onde você pode encontrar as notícias mais importantes da arqueologia, história e humanidades, bem como artigos de interesse, curiosidades e muito mais. Em suma, um ponto de encontro para todos onde possam compartilhar informações e continuar aprendendo.


Vídeo: Evolução humana-parte 01